Acreditar é Viver! | Fit Media

Calma isso não é um post religioso, apesar do título, muito mais um pensamento filosófico de que precisamos acreditar mais nas coisas.

Porem para aqueles que iniciaram a sua carreira nos primórdios da internet do Brasil, isso passou a ser um certo mantra, no qual sempre precisamos acreditar que o mercado iria crescer, melhorar, que os cargos e salários desta área seriam os melhores, como acontece hoje.

A alguns anos atrás lembro-me de participar de alguns eventos e ouvir que o display banner iria morrer, que somente existiria o conteúdo na internet e que todos virariam geradores de conteúdo. Até ai nada de novo, um discurso que passou por anos e anos e que de certa forma, não esta errado por completo, porem se o conteúdo é rei, a mídia display digital é a rainha.

A rainha tem um papel mais que importante ao lado do rei, que também controla e comento, algumas vezes sendo a “boazinha” da história, algumas vezes sendo a terrível vilã, quando falamos de trust delivery, brand safe, viewability, etc, mas mesmo assim, não deixa de ser a rainha, que no final, olha pelos resultados de entregas, enquanto o rei aparece para todos, fazendo a e mostrando a beleza de seu reinado.

Mesmo assim depois de anos, recebo uma pesquisa, mostrando que a confiança do americano no banner, aumentou mais de 10%, as empresas de tecnologia que estão no landscape da mídia online, crescem, assim como a FitMedia, algumas na casa dos 4 dígitos de % de crescimento de um ano para o outro.

Alguns canais estão querendo se manter como verticalizados no que se diz respeito a entrega de mídia, o que valoriza o seu inventário e seu conteúdo, porem, com as novas tecnologias, muito se fala que em algum momento temos que balancear o conteúdo com o internauta, a marca que impacta-lo, e tirando os conteúdos ofensivos, ela ainda não se preocupa muito onde e quando é exibido, a não ser pela visão ainda do Brand nos formatos de alto impacto.

O mais importante de tudo isso, que como o resto do mundo se baseia muito no caminho EUA de ser digital, segue o link da matéria, espero que sirva para os que dizem que o display vai morrer, que o banner não funciona e que somente a performance salva.

O internauta confia sim o banner, as vezes não clica, mas este ponto de impacto esta cada vez mais frequente em sua vida, mais que TV, rádio, cinema e outdoor. Devemos encarar que o banner, cumpre um papel mais que importante na mente do consumidor, que o valor deste impacto, pode ser medido hoje pelo taxa do índice de preferência dos gerações mais novas.

Boa leitura (link da matéria completa emarketer)