Do View ao Bility! | Fit Media

Alguns tentam sempre quantificar e qualificar os dados gerados dentro de uma campanha, isso é mais do que importante, isso é extremamente relevante, algumas das discussões mais atuais são ainda sobre o viewability e o frequency capping, dois termos na mídia que estão tentando encontrar seu lugar no digital, assim como o eGRP ou eTRP.
O Viewability ou Visibility tanta por sua vez dentro dos conceitos de programações e ferramentas, gerar um dado de que o banner contratado pelo anunciante e entregue pelo Publisher, teve realmente sua exibição para o internauta e não somente a contabilização pelo adserver, ele quer definir se este banner que foi entregue ou impresso, teve realmente ou pelo menos qual % do resultado da sua estratégia. Para isso se usa tecnologia, definindo parâmetros de exibição do banner, termos como above e bellow são utilizados para determinar se este banner aparece no primeiro scroll da tela ou a partir do segundo, além de entender quanto tempo o internauta ficou naquele scroll, temos tecnologias para dizer, se o mouse se posicionou próximo ao banner e ai o 2° party data, se o internauta em si, clicou no banner e seu perfil de comportamento de navegação do site.
Em um comparativo direto, a pergunta que me faço, é, na mídia off-line, seria quantificar o número de pessoas que permanece na frente da TV, enquanto se passa o comercial e quantas, foram para cozinha, banheiro, ou apenas estão olhando para o celular, enquanto o comercial é exibido, as métricas devem servir para aprendermos mais sobre o nosso target e seu consumo.
Mesmo assim, se pegarmos a correlação entre dados causais, podemos analisar que tanto como a TV como o display que dizem que o internauta ou o telespectador não está apresentando atenção, o volume de resultados de buscas pelo termo/produto da campanha/marca, sofre um pequeno aumento dentro do target nas ferramentas de busca.
Então mais uma vez o dado, pelo dado, não tem função, mas mesmo assim esta é uma métrica que faz sentido estar presente nas principais plataformas de mídia online, pois se tornou um requisito para melhorar o anti-fraude das campanhas online, onde diversos canais online, simplesmente dispunham os códigos na página que se contabilizava como impressão ou exibição, o que foi dificultado por este processo.
O que nos traz para o seguindo item, o frequency capping, ou seja, frequência de exibição, que na mídia off tem um conceito atribuído a velocidade e quantidade na qual o cérebro do target, consegue receber a informação, mas será que este tempo é o mesmo no online, onde o tempo de permanência dos canais online, são cada vez menores, onde o conteúdo de leitura e compartilhamento se resume a 140 caracteres em média, onde o internauta tem mais de 3 abas abertas ao mesmo tempo? Sendo assim, qual a frequência ideal de exibição de uma mídia display, onde ainda assim o target vai ser impactado por estratégia de conteúdo (in-bound), social, e-mail marketing e outros canais off, qual a frequência que justifica a diminuição da exibição ou o mérito do resultado???
Tanto o viewbility quanto o frequency capping, fazem parte do big data e da respostas de o que? E não o por quê? A tecnologia nos permite hoje realizar testes a todo tempo, com diversas utilizações e ferramentas, então use estas e outras, não estagne a campanha, pois os internautas tem momentos diferentes e sempre esteja pronto para mudar.